Ministério da Saúde quer retorno do futebol, mas pede "discussão mais aprofundada"

Pasta é comandada por Nelson Teich e está subordinada ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido)

por Agência Futebol Interior

Brasília, DF, 01 (AFI) - O Ministério da Saúde, comandado por Nelson Teich e subordinado ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), emitiu um documento, uma minuta de parecer, em resposta ao Guia para Retomada Progressiva, protocolo médico feito por médicos de clubes e pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

A pasta fez ressalvas, mas chega à conclusão que "o futebol é uma atividade esportiva relevante no contexto brasileiro e que sua retomada pode contribuir para as medidas de redução do deslocamento social através da teletransmissão dos jogos para domicílio".

Para isso, pede que a CBF "garanta a realização dos testes e avaliações constantes não apenas nos atletas, mas também que seja ofertado aos membros das comissões técnicas, funcionários e colaboradores, assim como respectivos familiares e contactantes próximos".

Nelson Teich - Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil
Nelson Teich - Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

Por outro lado, lembra que "disponibilização de testes rápidos no sistema de saúde encontra-se saturada diante das necessidades da população brasileira... Diante da afirmação acima, na proposta apresentada, não fica evidenciado onde serão realizados os testes, periodicidade e critérios de retestagem, e como serão assistidos caso o diagnóstico dos atletas seja positivo".

O documento ainda comenta a questão de treino coletivo e "sugere discussão mais aprofundada sobre as ações previstas nestas fases para que haja consenso em relação aos procedimentos de saúde e segurança essenciais em cada uma delas."

CONFIRA O DOCUMENTO NA ÍNTEGRA