De volta após tour na Europa, Márcio Máximo busca espaço no país

Em dezembro, treinador concluiu curso da CBF para aperfeiçoar currículo

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 05 (AFI) - O mercado brasileiro já começa a ficar agitado com as quatro divisões do Campeonato Brasileiro. Antes disso, porém, com os Estaduais ainda em andamento, alguns clubes iniciam o planejamento de olho no segundo semestre, o que implica no estudo da contratação de atletas e treinadores.

Neste mercado de professores, Márcio Máximo analisa algumas situações na expectativa de assumir um clube no país. Com passagem por seleção africana e base da seleção brasileira, técnico voltou recentemente de visitas que fez a clubes europeu - Roma, na Itália, e Vitória de Setúbal, em Portugal.

De volta após tour na Europa, Márcio Máximo busca espaço no país
De volta após tour na Europa, Márcio Máximo busca espaço no país
"Além de observar as atividades, conversei com os treinadores. Todos os brasileiros, inclusive, estão na mesma direção. O que difere uns dos outros são o conceito de jogo, gestão do grupo e relacionamento com diretoria e imprensa”, analisou o treinador.

Em dezembro passado, Máximo concluiu o Curso da CBF, Academy Pró Módulo II. Agora, após retornar do Velho Continente, onde esteve em busca de novos contatos, ele já começa a analisar as propostas para retornar ao mercado. “Essa troca de informações sempre é benéfica, principalmente quando se pode fazer isso pessoalmente, mas agora estou estudando algumas situações aqui no Brasil e no exterior”, revelou Marcio.

QUEM É MÁRCIO MÁXIMO?
Ex-atleta e formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o treinador, antes de seguir carreira internacional, trabalhou no Brasil, no Araçatuba-SP, Mesquita-RJ, Vasco da Gama e nas categorias de base da Seleção Brasileira.

Máximo, aliás, integrou a comissão da primeira Seleção, da qual Ronaldo Fenômeno foi convocado. Em seguida, iniciou trabalho fora do país. No mundo árabe, atuou na Seleção do Catar e Al Ahli, da Arábia Saudita. Ele também dirigiu a Seleção Carioca de Profissionais, que excursionou pela Europa para disputar jogos amistosos.

Além disso, disputou as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2002, dirigindo a Seleção das Ilhas Cayman. Surgiu, então, o convite para trabalhar na Grã-Bretanha, onde foi treinador do Livingston F.C, na época integrante da Premier League Escocesa. Márcio tornou-se, portanto, o primeiro brasileiro a trabalhar no Reino Unido.

Nos últimos anos, esteve comandou a Seleção da Tanzânia e disputou mais duas Eliminatórias de Copa do Mundo (Alemanha e África do Sul). Como resultado do seu trabalho, classificou a equipe, pela primeira vez na história, para a Copa Africana de Campeões.

Máximo ainda conseguiu levar a seleção, do 167º lugar no ranking da FIFA, para 86º, além de abrir mercado para os jogadores tanzânianos na Europa. Por fim, também é regularmente convidado para dar palestras na Associação Brasileira de Treinadores de Futebol.