Série B: Na reserva, meia diz que presidente também escala no Atlético-GO

A declaração polêmica de Matheuzinho aconteceu depois do empate com o Bragantino, por 1 a 1

por Agência Futebol Interior

Goiânia, GO, 16 (AFI) - Insatisfeito por ter perdido a vaga de titular nas últimas rodadas, o meia Matheuzinho deu uma declaração bastante polêmica após o empate do Atlético-GO com o Bragantino, por 1 a 1, na última sexta-feira, em Goiânia.

Sem esconder que não estava contente com a condição de reserva, Matheuzinho disse que quem escala é o presidente Adson Batista, além do técnico Wagner Lopes e dos demais integrantes da comissão técnica.

O meia Matheuzinho não escondeu a insatisfação com a reserva do Atlético-GO
O meia Matheuzinho não escondeu a insatisfação com a reserva do Atlético-GO
"Claro que sim (chateado com a reserva). Eu, como todo jogador, quero estar em campo, mas a gente não sabe o que se passa na cabeça do treinador e sempre que ele optar vou estar pronto. Eu sou muito de grupo, nunca pensei só no meu umbigo. Mas enfim, não sou eu quem escala, quem escala é o treinador, o presidente, enfim, todos da comissão técnica. Vou estar procurando treinar e dar o meu melhor", disse o meia.

QUER FICAR
Contratado junto ao Juárez-MEX durante o Campeonato Goiano, Matheuzinho foi eleito o melhor jogador do estadual, que terminou com o título rubronegro. Com a camisa do Dragão, até o momento, o meia disputou 38 jogos e marcou nove gols.

Apesar de ter recebido propostas - tanto de fora quanto de outros clubes brasileiros -, o jogador demonstrou interesse em dar a volta por cima do Atlético.

"Recebi proposta sim e não foi só uma. Tive coisas do Brasil e fora do país, mas optei por ficar. Não penso na saída mesmo não jogando. Meu foco é no Atlético", finalizou Matheuzinho.