Clube da elite estadual oferece ouro e uma vaca para seu artilheiro em 2020

Presidente do clube é homem ligado também às atividades do garimpo

por Jorge Maciel - Futebolpress

Poconé, MT, 17 (AFI) - Na mesma direção dos maiores clubes brasileiros que dão dinheiro como “bicho” nas vitórias e/ou conquistas de competições, o Poconé, (PEC), time composto de jogadores de fazendas do Pantanal e da zona rural, do amadorzão, e mesclado com alguns outros atletas mais experientes, instituiu uma forma inusitada e nada simbólica para reconhecer o feitos dos seus jogadores no Campeonato Mato-grossense 2020.

O presidente e fundador do clube, Orivaldo Nunes Rondon, homem ligado também às atividades do garimpo, resolveu oferecer um bicho de verdade para o artilheiro ou vice-artilheiro do campeonato, contanto que seja do seu time. Para o artilheiro, o COOPERPOCONÉ dará 15 gramas de ouro – o equivalente a R$ 3,4 mil – e para o vice um bicho de verdade, uma vaga à escolha do premiado.

Orivaldo Rundon, com os filhos Hadso e Heliumar, na Arena Pantanal.
Orivaldo Rundon, com os filhos Hadso e Heliumar, na Arena Pantanal.

Quando fundou o Poconé, ou “Cavalo pantaneiro”, em 2012, montando e mantendo o elenco com seus próprios recursos, Rondon sempre criou formas inusitadas para incentivar seus jogadores. E artilharia do campeonato não é um bicho de sete-cabeças para o time da cidade de pouco mais de 30 mil habitantes, que é entrada do Pantanal Mato-grossense.

LEMBRA?
Em 2015, disputando o Estadual daquele ano, Everton Cabixi foi o maior goleador da competição, marcando sete gols à época. Os jogadores asseguram que Cabixi ganhou a premiação em ouro, mas não sabem quantos gramas.

“Se for artilheiro, ouro; se for vice-artilheiro, uma vaca à sua escolha no pasto”, diz Orivaldo, referindo-se ao desafio deste ano.

Em 2017, Danilo foi o maior goleador do clube, com quatro gols, mas ficou longe de Andrezinho (Sinop), que fez nove e foi o artilheiro daquele Mato-grossense. Andrezinho não levou, mas Danilo, mesmo não sendo o artilheiro da competição, foi o maior goleador do time poconeano e teria levado alguns gramas de ouro.

TORCIDA CAPIVARA!
E o Poconé é muito fiel às suas origens. A principal torcida organizada, por exemplo, não tem um nome relacionado às cores, garra, combate (como fúria, comando, mancha, guerreiros). Com muito orgulho, os integrantes da torcida do PEC são chamados de “Capivaras”.

COMO ESTÁ O PEC?
No Estadual, o Poconé está na sétima posição, vem de um empate com o Nova Mutum, fora de casa, neste domingo, além de ter goleado o Luverdense por 4 a 0 na rodada passada.