Presidente da FPF não crê no fim dos estaduais. "Vão jogar R$ 300 milhões no lixo?"

Reinaldo Carneiros Bastos falou da importância dos estaduais para muitos clubes do país

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 10 (AFI) - A rescisão de contrato por parte da Globo sobre as transmissões do Campeonato Carioca levantou um debate sobre o fim dos estaduais. O presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, deixou claro que isso dificilmente irá acontecer no Brasil.

"Os campeonatos estaduais só vão terminar no Brasil quando acabarem os campeonatos nacionais na Europa. Porque nosso país é um continente. Os clubes de São Paulo não vão jogar R$ 300 milhões no lixo", falou ao repórter PVC.

O Campeonato Paulista tem contrato com a televisão até 2022. No entanto, a MP 984 trouxe mudanças significativas. Agora, o clube mandante tem o direito de ser detentor da transmissão, como ocorreu com Flamengo, na semifinal da Taça Rio e com o Fluminense, na grande decisão.

Reinaldo não acredita no fim dos estaduais
Reinaldo não acredita no fim dos estaduais
CALENDÁRIO!
No entanto, Reinaldo não falou sobre as verbas oriundas apenas das cotas de transmissão, mas também das publicidades estáticas, entre outras arrecadações. O presidente também ressaltou a importância dos estaduais para os times do interior e para aqueles que não tem calendário nacional.

"Ninguém sentou para tratar do assunto. Por que os estaduais são importantes? A FPF faz 4 mil jogos por ano. Se você acaba com estadual, você vai ter clubes sem receita e sem visibilidade. Interior de São Paulo é forte porque joga torneios fortes e bem organizados. Isso faz com que disputem sub 11, sub 13, sub 15, agora, o feminino. Quando você elitizar o futebol, o que seria muito triste, você acaba com tudo isso. Muito clubes ficariam sem calendário. Hoje, eles disputam os torneios para subirem de divisão e buscar uma vaga no nacional", concluiu Reinaldo, no programa Bola da Vez.