ESPECIAL SÉRIE A2: Santo André e Inter de Limeira fazem a festa rumo ao Paulistão

Ramalhão foi o campeão da Série A2 que registrou as quedas de Nacional e Linense para a Série A3

por Agência Futebol Interior

Santo André, SP, 24 (AFI) - O Santo André, da mesma forma que conhece o caminho do rebaixamento e do acesso, também sabe como chegar ao título. O Ramalhão faturou a Série A2 do Campeonato Paulista pela quinta vez na história, a terceira no século XXI (1975, 1981, 2008, 2016 e 2019). A conquista foi em cima da Inter de Limeira. Os dois finalistas, aliás, já haviam carimbado o passaporte para a Série A1 do Paulistão.

A Inter até venceu, em Limeira, por 2 a 1, mas o Santo André, no Bruno José Daniel, venceu por 3 a 1 e deu a volta olímpica. Interessante notar que a dupla fez campanha modesta na primeira fase. O Santo André foi o 6º colocado, enquanto a Inter foi a 7ª colocada. Ambos com 21 pontos.

Acesso e título na Série A2. (Foto: Alexandre Battibugli / FPF)
Acesso e título na Série A2. (Foto: Alexandre Battibugli / FPF)
A caminhada até o título do Ramalhão teve vitórias sobre o Rio Claro, nos pênaltis, e ante o Água Santa. O Água Santa, aliás, foi o melhor clube na classificação geral ao somar 40 pontos, mas ficou sem o acesso. O campeão, enquanto isso, levantou o troféu após 21 jogos com oito vitórias, seis empates e sete derrotas, além de 25 gols marcados e 21 tentos sofridos. Aproveitamento de 47,6%. Ponto positivo na campanha da equipe foi a disciplina. Em 21 jogos, o time do ABC não teve nenhum expulso.

DISTINTOS!
A campanha do clube do ABC chamou a atenção também por conta de dois personagens. Fernando Marchiori foi o técnico que comandou o Santo André no acesso e no título, superando altos e baixos. Natural de São Paulo, ele tem apenas 40 anos, pouca idade para a profissão.

"Na vida temos que passar por etapas. Já tinha conquistado muita coisa no Mato Grosso com Luverdense e Cuiabá, mas pouca gente sabe disso. Por ser o meu primeiro trabalho num centro como São Paulo, não tem como fugir disso”, afirmou Marchiori.

Já o volante Cristian viveu outra situação. O jogador acumula 39 anos, que é considerado bastante para a profissão de jogador. Mesmo assim, o veterano foi um dos pilares nas conqusitas do Santo André.

"Estamos no futebol, na nossa profissão, tem que fazer com amor e tesão, pois para ser vencedor tem que ser assim. A gente passa para a gurizada que temos que querer sempre vencer, vai acontecer de um tropeço ou outro, mas a maioria das vezes se tu te cuidar, fizer a coisa certa e colocar ali no campo o seu melhor, vai acontecer uma hora ou outra, por que o mundo é dos dedicados", disse.

Líder em campo. (Foto: Divulgação)
Líder em campo. (Foto: Divulgação)
REBAIXAMENTO!

Se dois sorriram, dois choraram. Nacional e Linense amargaram o rebaixamento para a Série A3 Paulista (equivalente a 3ª divisão estadual). A lanterna ficou com o clube de Lins que anotou apenas 13 pontos em 15 jogos. O Linense caiu com três vitórias, quatro empates e oito derrotas. Aproveitamento de 28,9%.

O descenso do Nacional foi ainda mais dolorido. O vice-lanterna só desceu de divisão por conta do saldo de gols. Clube da capital fez os mesmos 15 pontos do São Bernardo, primeiro clube fora da degola, além de ter vencido três vezes como o Tigre. No saldo, porém, o Naça parou em -3, ante -2 do rival.

CONFIRA A SELEÇÃO FINAL DA SÉRIE A2 2019 FEITA PELO PORTAL FI:

Thomazella (Santo André);

Rafael Ferro (Portuguesa Santista), Héliton (Santo André), Gilberto Alemão (XV de Piracicaba) e Bruno Recife (Água Santa);

Marquinhos (Inter de Limeira), Franco (Rio Claro), Cristian (Santo André) e Chumbinho (Inter de Limeira);

Técnico campeão. (Foto: Arquivo pessoal)
Técnico campeão. (Foto: Arquivo pessoal)
Cesinha (Juventus) e Alvinho (Água Santa).

Técnico: Fernando Marchiori (Santo André)

Revelação: Dada (Água Santa)

Artilheiro: Alvinho (Água Santa).

Veja abaixo os números do campeonato (fornecidos pela FPF):


Jogos: 134
Vitória dos Mandantes: 53 (39,6%)
Vitória dos Visitantes: 40 (29,8%)
Empates: 41 (30,6%)
Placar mais frequente: 1x0 para o mandante (22 vezes)
Maior goleada: Taubaté 0x5 Água Santa
Jogo com mais gols: Portuguesa Santista 4x3 XV de Piracicaba

Melhor mandante: Água Santa - 88,9% de aproveitamento (24pts / 9J)
Melhor visitante: Juventus – 55,6% de aproveitamento (15pts / 9J)

Gols: 310 (média 2,31)
Gols de mandantes: 168 (54,2%)
Gols de visitantes: 142 (45,8%)
Gols no primeiro tempo: 145 (46,8%)
Gols nos segundo tempo: 165 (53,2%)

Melhor ataque: Água Santa – 1,79 (34GM / 19J)
Melhor defesa: Rio Claro – 0,59 (10GS / 17J)

Cartões Amarelos: 611 (média 4,56)
Cartões Vermelhos: 33 (média 0,25)
Faltas: 3831 (média 28,59)

Menor média de advertências: Atibaia – 1,53 (23CA / 15J)
Equipes sem expulsões: Santo André (21J), Sertãozinho e Linense (19J)
Menor média de faltas: Taubaté – 11,12 (189F / 17J)

Atletas utilizados*: 411
Quem mais jogou: Thomazella (Santo André) - 19 jogos (1710 minutos)
Atleta mais novo: Leandro (São Bernardo FC) – 17 anos (26/12/2001)
Atleta mais experiente: Maurício (Nacional) – 42 anos (28/01/1977)

Artilheiro: Alvinho (Água Santa) – 11 gols
Mais partidas em que marcou gols: Alvinho e Dadá (ambos Água Santa) – 9 jogos
Goleiro menos vazado: Murilo Prates (Rio Claro) – média 0,63 (10GS / 16J)
Mais jogos sem sofrer gols: Murilo Prates (Rio Claro) (8 jogos)

*apenas atletas que entraram em campo por ao menos um minuto