Médico do Santo André revela orientações aos jogadores e diz: "temos que temer o Covid-19"

Melhor clube do Paulistão mostrou preocupação com o coronavírus e também com a parte física dos jogadores

por Agência Futebol Interior

Santo André, SP, 25 (AFI) - O Portal Futebol Interior conversou com exclusividade, nesta quarta-feira, com Marcelo Schmidt Navarro, médico do Santo André, melhor clube do Campeonato Paulista, e da Ultra Sports Science. Ele revelou as orientações que passou aos jogadores do Ramalhão e ainda explicou tudo sobre o Covid-19.

O Santo André, assim como a maioria dos clubes, parou os trabalhos por conta da pandemia do coronavírus. O Paulistão também está paralisado por tempo indeterminado.

"Com relação à pandemia do coronavírus nós tivemos duas principais preocupações. A primeira é a prevenção da saúde do atleta com relação a sua própria infecção e a contaminação dos seus familiares", disse Navarro ao Portal FI.

"Passamos a eles as recomendações dos órgãos de saúde competentes e do Comitê Médico da FPF, com enfoque na prevenção, cuidados de higiene e transmissão para familiares, principalmente os idosos. Também informamos quais os principais sintomas e quando procurar o hospital", completou.

Especialista fala ao Portal FI. (Foto: Divulgação)
Especialista fala ao Portal FI. (Foto: Divulgação)

PARTE FÍSICA!
A prevenção, porém, não é a única preocupação do staff do Santo André. O Ramalhão sabe que precisa manter os jogadores ativos e em forma para quando o Paulistão voltar. E Navarro fez questão de explicar isso aos jogadores.

"Outra preocupação é em relação ao condicionamento físico. Com essa parada todo o trabalho iniciado na pré-temporada se perde. Existe uma programação de preparo físico que vai esse o primeiro jogo até o final da competição. Essa programação inclusive não é estática, varia durante a temporada e depende da quantidade de jogos e principalmente dos dias de descanso", revelou o médico.

"No caso do Santo André tivemos que nos preocupar com os jogos da Copa do Brasil e as fases finais do Campeonato Paulista. É um calendário dinâmico. O time estava fazendo uma boa temporada, mas infelizmente parte desse trabalho se perde com a parada da competição".

"Com a preocupação de minimizar os efeitos dessa parada, o nosso preparador físico Newton Martins de Carvalho passou aos atletas uma planilha de treinamento domiciliar. Temos a possibilidade de acompanhar virtualmente esse treinamento e inclusive alguns atletas respondem enviando vídeos e outras informações para retorno".

Olho na preparação física. (Foto: Divulgação)
Olho na preparação física. (Foto: Divulgação)

CONFIRA OUTROS TRECHOS DA ENTREVISTA EXCLUSIVA COM NAVARRO:

DICAS GERAIS!
"Existe um trabalho sendo feito por órgãos competentes da saúde e de administração pública para orientação da população. No momento as principais orientações são evitar aglomerações, praticar as condições de higiene preconizadas, realizar o isolamento domiciliar e procurar um serviço de saúde somente nos casos de aparecimento dos sintomas da infecção do coronavírus. Não procure o serviço de saúde para tirar dúvidas ou se tiver sintomas leves. As principais informações estão veiculadas nos meios de comunicação".

COVID-19!
"Temos que temer o Covid-19 assim como qualquer outra doença de caráter epidêmico. Existem várias doença virais em circulação que matam e causam um grande prejuízo social. Podemos citar dengue, febre amarela, o surto recente de sarampo entre outras. Porém o covid-19 tem algumas características peculiares, como a transmissibilidade rápida entre pessoas que não apresentam sintomas".

"A maior preocupação dos órgãos responsáveis é a contaminação de um grande número de pessoas ao mesmo tempo e, por consequência, um colapso no sistema de saúde (seja o privado ou público). Por isso a questão do isolamento da população".

"Entretanto, alguns profissionais de diversas áreas questionam o modo como esse isolamento deve ser conduzido e as suas possíveis consequências desastrosas. Falam que o remédio pode ser pior que a cura. Mas uma coisa é certa, o isolamento social confere um tempo para diminuir a propagação do vírus, analisar dados epidemiológico e pensar nas melhores alternativas para combater a doença".

ATLETA E O COVID-19!
"Esse tópico é bem amplo e alvo de inúmeras pesquisas, capítulos de livros e debates em congressos. Quando falamos em atleta pensamos em indivíduos que competem profissionalmente. Entretanto, uma pessoa de 72 anos, que tem comorbidades como dislipidemia, hipertensão e diabetes, que pratica sua corrida 3 a 4 vezes por semana, pode ser considerado um atleta".

"Existem até tabelas para classificar a categoria do atleta de acordo com sua atividade física. Nesse nosso exemplo, o atleta, apesar de praticar atividade física regularmente, encontra-se em uma categoria de risco para a infecção do coronavírus devido as suas comorbidades e a sua idade".

"Entretanto, a atividade física praticada de maneira regular, orientada e controlada por profissionais responsáveis, pode regular os níveis laboratoriais das doenças de base. Com isso presume-se que a pessoa possa estar mais competente para combater possíveis infecções".

Já pensando no indivíduo sadio que pratica atividade física regularmente estudos sugerem que essas pessoas tem uma menor incidência de infecções bacterianas e virais, além de neoplasias. Agora, atletas submetidos a grandes esforços e excessos de treinamentos apresentam maior incidência de infecção nas vias aéreas superiores. Aliás, essa inclusive é uma das características do 'overtraining'".

MODOS!
"Acredito e espero que sim (que as pessoas mudarão seus hábitos). Muitas vezes os hábitos culturais de uma determinada população provém de fortes crises como guerras e epidemias. Se podemos citar pontos positivos dessa crise será a conscientização da população por condições básicas de higiene, que variam desde a limpeza correta das mãos até o uso de máscaras quando estivermos doentes para não contaminar os outros".