Segundona: 'Vamos esperar para ver como vai ficar', diz presidente do XV de Jaú

Galo da Comarca está no Grupo 2, ao lado de Santacruzense, Assisense, Independente, Rio Branco, União Barbarense e Vocem

por Agência Futebol Interior

Jaú, SP, 31 (AFI) - Eleito presidente do XV de Jaú, no último sábado, João Vital Neto falou como vem sendo feito o planejamento para a Segundona Paulista mesmo em meio à paralisação por conta do novo coronavírus, o Covid-19.

"Vamos manter conforme vinha sendo feito. Tivemos reunião com o departamento de futebol liderado pela empresa Head Soccer. Vai se manter. Demos férias para os jogadores e deixamos eles em casa, até por conta não de poder alojar. Ainda não tinha o time montado e vamos continuar esse trabalho", disse à Rádio Difusora AM de Franca.

"Na parte administrativa, vamos resolver as pendências que o clube tem e esse é nosso foco nesse momento de paralisação. Vamos esperar para ver como vai ficar. Quando isso passar vai começar do zero, com novo congresso técnico, talvez outra forma de disputa. E vamos ver se nosso planeamento na parte do futebol se encaixa nesse novo calendário", declarou.

"Em relação aos parceiros, a gente não tem tido problemas. Apesar dessa questão do vírus, não temos nada acertado sobre calendário. Então, os parceiros continuam com a gente. Não temos nenhum tipo de rescisão. São pessoas que gostam do XV, tem paixão pelo XV e estão sofrendo junto com a gente por conta dessa paralisação", afirmou.

 Foto: Tiago Pavini / Arquivo XV de Jaú
Foto: Tiago Pavini / Arquivo XV de Jaú
O Galo da Comarca está no Grupo 2, ao lado de Santacruzense, Assisense, Independente, Rio Branco, União Barbarense e Vocem. Os dois melhores colocados, além dos quatro melhores terceiros gerais, avançam às oitavas de final.

João Vital Neto - Foto: Divulgação - Foto: Divulgação
João Vital Neto - Foto: Divulgação
"Estou confiante de que, no segundo semestre, o futebol volte a acontecer, tanto o Paulista e os regionais, como o Brasileiro. Queremos voltar com total segurança. A Bezinha acho que vai se manter, o que pode é diminuir número de rodadas, talvez turno único", declarou o cartola do clube jauense.

"Em relação a outras competições da FPF, a Federação vai ter de dar um jeito e mudar a filosofia em relação ao número de equipes. Ela precisa acabar a Série A1 porque tem efeito cascata nas outras, com acesso e descenso. Talvez não desça ninguém, se ela não conseguir terminar a A1 por conta de agendas de outros campeonatos", avaliou.

"Então, não desceria ninguém. Só sobe. E, no ano que vem, desce uma maior quantidade de times para adequar aos 16 que a FPF quer ter nas principais divisões. Temos de trabalhar para ter competição neste ano. Muita gente depende do futebol, empregos, jogadores e clubes", encerrou o dirigente.