Deuses dos estádios livram a barra do América Mineiro

Coelho vence Inter nos pênaltis e avança à semifinal da Copa do Brasil

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Lisca, treinador do América Mineiro
Lisca, treinador do América Mineiro

Já que o ex-centroavante Luizão completou 45 anos de idade no último dia 14, convém reviver o histórico da carreira dele, com início no Guarani em meados da década de 90, na coluna doméstica Cadê Você.

Luizão com enfoque nacional pode ser ouvido no áudio Memórias do Futebol.

DEFINIÇÃO NOS PÊNALTIS

Os deuses dos estádios olharam para o América Mineiro e não o desamparam quando a definição do classificado, em confronto com o Internacional (RS), se arrastou às cobranças de pênalti, na noite desta quarta-feira, pelas quartas-de-final da Copa do Brasil.

Como bastaria um empate para que o América Mineiro garantisse a vaga, convinha se defender, até porque o Inter jogaria na base do 'tudo ou nada'.

Assim, o América se prestou ao obediente serviço de fechar espaços do guerreiro clube gaúcho e, embora pressionado, o seu goleiro Matheus Cavichiolli não havia praticado uma defesa difícil sequer.

Quando tudo caminhava para um zero a zero, entrou em jogo o dilema que ele só acaba quando o juiz apita.

Foi quando Yuri, do Inter, marcou o gol da vitória aos 49 minutos e 47 segundos do segundo tempo.

Portanto, restavam 13 segundos para completar o período de acréscimo quando o time mineiro sofreu o castigo e foi derrotado por 1 a 0.

THIAGO GALHARDO

Aí, entrou em cena conhecido bordão do saudoso frasista Neném Prancha, quando dizia que 'futebol é uma caixinha de surpresa'.

Quando se via um América cabisbaixo antes das cobranças de pênalti, com seu treinador Lisca tentando reanimar os seus jogadores, ordenando que chutassem forte, ocorreu o imponderável nas cobranças: Thiago Galhardo, do Inter, artilheiro do Brasileirão, desperdiçou cobrança chutando a bola para fora.

E só renasceram as esperanças do colorado quando Daniel Borges, do América, também desperdiçou.

Por fim, com chute pra fora do ex-pontepretano Wendell, do colorado, deu Coelho, assim como deu corre-corre logo em seguida.

Foi informado que o goleiro Marcelo Lomba, do Inter, havia trocado socos com o meia Alê, do Coelho.

RESERVAS VÃO MAL

Há várias partidas observa-se que o América tem perda de capacidade com entrada de reservas durante o segundo tempo.

O meia Alê, que perdeu a posição para Geovane, nem de longe lembra aquele jogador criativo. Tem errado até passes curtos.

Marcelo Toscano, que costumeiramente substitui Felipe Azevedo, é outro que tem feito número em campo.

Jovem Léo Passos é esforçado, mas sem a dinâmica do centroavante Rodolfo.

Portanto, para que o América continue com regularidade, é imprescindível contar com todos titulares.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos