Faltaram gols no clássico de Itaquera entre Corinthians e Santos pelo Paulistão

De qualquer maneira, como o primeiro tempo foi do Corinthians e o segundo do Santos, o empate sem gols deve ser considerado justo

por SÉRGIO CARVALHO - - - Campinas

Estádio cheio, jogo corrido, bem disputado, muita emoção e boa atuação dos goleiros Cássio e Vanderlei. Mas faltou o principal. Os gols que dariam ao clássico entre Corinthians e Santos, disputado neste domingo, no Itaquerão, o privilégio de ser considerado um dos melhores dos últimos anos.

De qualquer maneira, como o primeiro tempo foi do Corinthians e o segundo do Santos, o empate sem gols deve ser considerado justo. Curioso é que o time de Fábio Carille vinha mal na maioria de seus últimos jogos, mas, quando teve pela frente um de seus mais tradicionais adversário, de sua história, cresceu de produção e jogou como um verdadeiro time grande.

Chuva de papeis atrasou início de clássico em 11 minutos
Chuva de papeis atrasou início de clássico em 11 minutos
O Santos decepcionou no primeiro tempo. O esquema tático criado pelo argentino Jorge Sampaoli não funcionou. Como consequência o Corinthians dominou a partida, teve maior presença no ataque e quase não deu chance ao Santos de criar jogadas de ataque.

No segundo tempo, no entanto, Sampaoli arrumou a casa, trocou algumas peças e fez o Peixe jogar como líder que é na classificação geral do campeonato (é o time que mais ganhou, somou o maior número de pontos e conseguiu fazer o maior número de gols).

OS DESTAQUES

No Corinthians, destaque para Cássio, que fez defesas importantes; Fagner, que defendeu e apoiou com competência; Ralf, que mandou na cabeça de área corintiana e Clayson, o melhor do ataque alvinegro.

No Peixe, Vanderlei atuou bem em todas as vezes que foi chamado a trabalhar, Vitor Ferraz foi muito bem tanto como defensor como em criador de jogadas pelo lado direito e Derlis, que correu e se deslocou muito para confundir a linha de zaga adversária.

BOM NÍVEL

Na verdade, nesse clássico, não houve um jogador que possa ser criticado com maior ênfase por sua atuação. A seu modo e no seu estilo, cada um deu conta do recado. Talvez Alison, do Santos, tenha sido o menos eficiente.

E, por incrível que pareça, o árbitro do jogo Douglas Marques das Flores, que fez sua estreia no comando de clássicos paulistas, foi um dos melhores em campo. Uma bela atuação que poderá ajudá-lo a crescer rápido na arbitragem estadual e nacional.


Mirassol buscou o empate com o Palmeiras. Foto: Marcos Freitas
Mirassol buscou o empate com o Palmeiras. Foto: Marcos Freitas

AS DECEPÇÕES
Nos outros jogos em que houve presença de grandes clubes, Palmeiras e São Paulo decepcionaram. Ambos empataram seus jogos no último sábado. O Verdão ficou no 1 a 1 contra o Mirassol, lá em Mirassol, enquanto o São Paulo empatou (1x1) com a Ferroviária, no Pacaembu.

No caso do Palmeiras, Felipão utilizou seu time reserva que como tem acontecido nesse Paulistão, não jogou nada. Vagner Mancini, técnico tampão do São Paulo, utilizou uma maioria de garotos em seu time principal, chegou a mandar no jogo mas não foi capaz de fazer o segundo gol que lhe daria a vitória nessa partida.

Entre os grandes, só o Santos está matematicamente classificado. Os outros ainda precisam ganhar mais alguns pontos para chegar lá. Vamos ver se conseguem..

C * U * R * T * A * S

* NO ITAQUERÃO, como manda a lei, só torcedores do Corinthians. Muita gente, uma enorme festa do começo ao fim do jogo. Único problema foi a chuva de papel picado antes do começo da partida. Foi tanto papel que as linhas que marcavam uma das grandes áreas ficaram totalmente cobertas.

Vagner Love entrou no segundo tempo
Vagner Love entrou no segundo tempo
Foi preciso que funcionários do Corinthians entrassem em campo para ao menos deixar essas linhas novamente visíveis, como exigiu o árbitro. Foram oito minutos de atraso no inicio do jogo por esse motivo. O público portou-se bem apesar do atraso.

* COMO dissemos na coluna anterior, o Corinthians não contaria no clássico com a presença de Gustagol. De fato.

Ele não entrou em campo nem ficou no banco porque estava suspenso. Um jogador que até outro dia nem era titular do Fortaleza mas que hoje é um dos principais destaques do alvinegro paulistano.

Gustagol fez falta, apesar do esforço dos atacantes corintianos que tentaram substitui-lo. Pedrinho se machucou e saiu no segundo tempo. Fiel fez uma festa na hora de sua saída. Ele já é um ídolo. Mas eu ainda acho que ele está devendo.

TRICOLOR NÃO SE FIRMA

* O SÃO PAULO por sua vez, não se firma. Continua a oscilar. Prova disso foi o empate pela contagem mínima, ocorrida sábado à noite, no estádio do Pacaembu, em São Paulo. Essa oscilação não ocorre de um jogo para o outro. Mas dentro de um mesmo jogo.

Contra a Ferroviária, por exemplo, o time não jogou nada no primeiro tempo quando tomou um gol. No segundo, a equipe cresceu e até o maior craque do time, o meia Hernanes, jogou um futebol à altura de seu prestígio. Aliás, foi de Hernanes o gol tricolor aos dois minutos do 2º tempo.

Ferroviária segurou o São Paulo
Ferroviária segurou o São Paulo

* O GOL do time de Araraquara foi no primeiro tempo. Aos 9 minutos, de fora da área, o atacante Carlão acertou um belo chute no canto esquerdo do goleiro Volpi.

De qualquer forma, numa somatória dos dois tempos de jogo, o São Paulo foi melhor que a Ferroviária e até merecia vencer, mas houve muitas falhas nas conclusões e o time de Mancini ficou no empate.

Com esse resultado, o São Paulo, que poderia ter disparado na liderança do Grupo D, jogou fora essa chance. Numa dessas, pode até nem se classificar para a próxima fase do Paulistão.

HERNANES FOI O MELHOR

* ENTRE os jogadores que estiveram em campo, Hernanes foi o melhor pelo São Paulo. Em especial pelo que produziu no segundo tempo. O goleiro Volpi, criticado rodadas atrás, teve ótima presença e evitou gols certos da Ferroviária.

Na defesa, Arboleda, como sempre, foi o melhor. No meio campo além de Hernanes ninguém se destacou. Na frente os garotos Antony e Helinho, deram muito trabalho à zaga adversária e só pecaram nas finalizações. Quem não foi bem entre os atacantes foi Pablo. Ele não se achou em campo. Sua fase técnica é ruim.

FELIPÃO TÁ ERRADO

* POSSO até estar errado mas não concordou com a opção de Luiz Felipe Scolari de escalar uma maioria de jogadores reservas em jogos do Paulistão. Primeiro porque com essa atitude ele desvaloriza a competição.

E, segundo, porque o torcedor que paga para ver o jogo quer mais é assistir uma vitória de seu time e não um empate frio e sem graça como foi o de sábado à tarde, em Mirassol. Para o time da casa até que o fato de Felipão usar quase só reservas, foi uma boa. O Mirassol ganhou um ponto e ficou um pouco mais distante do rebaixamento.

PELA LIBERTADORES

* VERDÃO volta a jogar nessa terça-feira, na Allianz Arena, contra o Melgar, pela Copa Libertadores da América. Um jogo para vencer a qualquer custo porque neste torneio quem perde ponto em casa acaba até ficando fora dos mata matas da fase mais importante da Libertadores.

Aliás, Felipão que se cuide. Ele que crie um esquema que faça seu time ser mais eficiente no ataque porque, até agora, só tem ganho jogos jogos onde privilegiou apenas seu sistema defensivo. Se é para jogar como time pequeno então que dispensem os jogadores mais caros.,

* E FAÇO mais uma pergunta. Se não tem nenhum interesse no Paulistão, por que o Palmeiras disputa esse torneio?

O torcedor que mora no interior aproveita o fato do seu time vir jogar por aqui e gasta um bom dinheiro para viajar e comprar ingresso, alimentação, etc.

Aí quando os times entram em campo ele verifica que não vai ver em ação os grandes astros de seu time. Além disso, quando a bola começa a rolar, ele percebe também que o futebol é de péssima qualidade e a exibição do Palmeiras é decepcionante. Melhor seria desistir do Paulistão.

DEMORA EM ESCALAÇÕES

* UM AVISO à diretoria da FPF. Entre em contato com os clubes participantes do Paulistão e exija que as escalações sejam dadas à imprensa antes dos clubes entrarem em campo. E mais. Vamos acabar com essa frescura do Felipão proibir seus jogadores de darem entrevistas na saída do primeiro tempo.

Qual o mal que há nisso? No meu tempo, todos davam entrevista antes, no meio e no final dos jogos. Felipão prefere insistir em fechar treinos, proibir entrevistas no intervalo e até o final do jogo e nem por isso, ganha todos os torneios dos quais participa.

Red Bull tem a segunda melhor campanha no Paulistão
Red Bull tem a segunda melhor campanha no Paulistão

RODADA E PRÓXIMOS JOGOS

* ATENÇÃO: aqui todos os resultados da décima rodada da primeira fase do Paulistão. Botafogo 2 x Bragantino 1, Oeste 0 x Red Bull 2. Ituano 2 x Guarani de Campinas, 1. Mirassol 1 x Palmeiras 1, São Paulo 1 x Ferroviária 1, Corinthians 0x Santos 0 , São Bento 1 x São Caetano 2 .

Nesta segunda feira a rodada será completada com o jogo entre Novorizontino e São Caetano, as 17h30, em Novo Horizonte. Time da casa está melhor e tem tudo para faturar os três pontos. Se perder, o São Caetano volta a ficar ameaçado pelo rebaixamento. Cuidado..

* PRÓXIMOS jogos do Paulistão, décima primeira rodada (a penúltima da fase!). Sexta feira - Bragantino x Ituano, Red Bull x São Bento, Santos x Novorizontino, as 20h30, no Pacaembu e Ferroviária x São Caetano. No sábado, as 16h30, São Paulo x Palmeiras, o clássico da rodada, no estádio do Pacaembu.

Ponte Preta x Guarani, o famoso dérbi campineiro, no Moisés Lucarelli, a partir das 19 horas. Domingo apenas dois jogos. Corinthians recebe o Oeste, no Itaquerão, à partir das 16 horas. As 19 horas o Mirassol, pega o Botafogo lá em Mirassol.

SÉRGIO CARVALHO - -
Sérgio Carvalho é um dos ícones do jornalismo esportivo brasileiro. Sua coluna ganhou mais de cincoenta prêmios durante o período em que foi publicada pelo Diário de São Paulo (antigo Diário Popular) durante mais de vinte anos. Hoje é um dos pontos de referência entre os colunistas do Futebol In
Veja perfil completo
Veja todos