Paulista A2: Zagueiro da Portuguesa cita indefinição, mas prega paciência nesta pausa

De quarentena, Reniele segue treinando e vive incerteza sobre volta do estadual

Publicado em .

De quarentena, Reniele segue treinando e vive incerteza sobre volta do estadual

São Paulo, SP, 28 (AFI) - Capitão da Portuguesa no Campeonato Paulista da Série A2, o zagueiro Raniele concedeu uma entrevista para NETLUSA desta quinta-feira (25). O defensor da Lusa falou sobre o momento de indecisão que todos jogadores vivem desde a pausa no futebol por causa da pandemia de coronavírus.

“É complicado. Estamos acostumados a estar em grupo. Só vejo vários boatos de quando vai voltar… Para gente, é ter calma e paciência e aguardar um comunicado oficial da Portuguesa e da Federação. Enquanto não sair isso, ficamos desconfiados e mantendo o foco”, declarou.

Mesmo com o momento de incerteza, o defensor falou que o plantel segue mantendo a forma. Porém, destacou que treinar isolado é muito complicado, contudo necessário.

Raniele cita indefinição, mas prega paciência na pausa do futebol (Foto: Ronaldo Barreto/NETLUSA)
Raniele cita indefinição, mas prega paciência na pausa do futebol (Foto: Ronaldo Barreto/NETLUSA)
“Por enquanto estamos conseguindo levar. O time de treino é diferente é meio sem graça, pois não temos nossos companheiros. Mas, é necessário para que, quando o campeonato voltar, estramos em forma. Teremos partidas cada vez mais difíceis na volta”, emendou.
Funções no elenco

FUNÇÕES NO ELENCO
Raniele já atuou diversas vezes como volante na Lusa. Mesmo com bom desempenho no meio-campo, o atleta reforçou que prefere atuar mais recuado.

“Minha preferência é jogar de zagueiro. Porém, cresci nas divisões de base como volante, então tenho essa facilidade. Já cheguei até a atuar como lateral direito. Nessas eu consigo fazer o simples, porém prefiro ficar na zaga”, avaliou.

Quando a Rubro-Verde anunciou a chegada de Willian Magrão, no dia 21 de fevereiro, a expectativa era que ele fosse atuar como volante. No entanto, Raniele e ele seguiram alterando as funções no meio e na zaga.

“Quando soubemos que o Magrão iria chegar, sabíamos que ia acrescentar muito ao grupo. Independente de quem fosse jogar, iria desempenhar bem o papel. Nossa defesa estava bem e mantivemos isso”, complementou.