ESPECIAL: Em meio à crise, torcedores precisam cortar gastos com futebol

O Portal Futebol Interior vem trazendo especiais que discutem como a pandemia está mudando a realidade do torcedor e dos clubes

Publicado em .

O Portal Futebol Interior vem trazendo especiais que discutem como a pandemia está mudando a realidade do torcedor e dos clubes

Campinas, SP, 13 (AFI) – A pandemia do novo coronavírus trouxe problemas para todos os setores da sociedade e não seria diferente no mundo do futebol. Além de clubes, federações, gestoras de estádios, e tantas outras áreas, o torcedor também foi muito impactado. Cortes de salários, demissões, desemprego levam as pessoas a definirem prioridades financeiras. E mesmo com a paixão por determinado clube, outras coisas são mais importantes.

O Portal Futebol Interior vem trazendo especiais que discutem como a pandemia está mudando a realidade do torcedor e dos clubes. Confira todos AQUI!

PRODUTOS

Com o cenário citado acima, os torcedores estão pensando duas vezes na hora de gastar o seu dinheiro. E usar parte do salário para comprar uma camisa ou qualquer outro produto de seu time acaba ficando fora dos planos.

Essa renda seria algo importante para os clubes, que já não contam com bilheterias, cotas de TV e, em alguns casos, sequer patrocínios.

Luís Gustavo Baricelo, professor de economia da Instituição Toledo de Ensino, de Bauru, explica justamente que a perda é para os dois lados, torcedores e clubes.

“O brasileiro está sedento por futebol, a voltar a assistir os jogos. Só que por outro lado ele também está com medo de perder o emprego dele. Se estava com vontade de comprar a camisa do time, agora ele vai pensar duas vezes antes de comprar porque não sabe se no mês que vem vai ter o emprego. O torcedor se priva de um consumo e o clube perde receita”, explicou ao Portal Futebol Interior.

Mesmo que a situação financeira do torcedor ainda permita que ele compre produtos do time, a falta de jogos pode prejudicar a relação dele com o clube e não motivá-lo a adquirir determinado produto.

Torcida do São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)
Torcida do São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

TV FECHADA E PAY-PER-VIEW

A renda de assinaturas de canais pagos e pay-per-view é outra afetada por esta crise.

Com menos assinantes, os clubes beneficiados também têm menor renda, pois recebem uma porcentagem dessas assinaturas.

A TV Fechada já vem sofrendo queda brusca no número de assinantes há alguns anos, pois está perdendo espaço para serviços de streaming.

Só em 2019, quase 2 milhões de pessoas cancelaram suas assinaturas.

“Os canais pagos e pay-per-view são bens que não são de primeira necessidade, como dizemos na economia. Quando precisamos cortar, cortamos o que é supérfluo. Cancela o pay-per-view ou até mesmo a assinatura da TV fechada, no caso de quem perdeu o emprego”, analisou.

Com a falta de renda, o torcedor pode ainda achar uma ‘solução’ na pirataria, problema comum no Brasil. Como o torcedor é motivado pela paixão, não deixará de assistir seu time, mesmo que não tenha condições financeiras para pagar os canais fechados ou pay-per-view.

SÓCIO-TORCEDOR

Outro recurso importante que vem dos torcedores é a renda do programa sócio-torcedor. As principais vantagens da maioria são acesso a jogos do time e descontos e lojas parceiras. Como não tem jogos e o consumo diminuiu, essas vantagens deixam de existir e faz o torcedor repensar se deve manter o valor no seu orçamento pessoal.

Em relação ao sócio-torcedor, o professor Luís Gustavo Baricelo ainda acredita que o receio de assinar ou renovar o plano continuará mesmo depois da volta do futebol.

“O torcedor vai esperar um pouco para ver a situação do próprio emprego, como estará minhas contas no futuro, se terei estabilidade. Aí sim pensar em voltar a contribuir financeiramente”, explicou.

INTERESSE MENOR?

Por estratégia, os clubes encaram seus torcedores como clientes e desenvolvem produtos e assinaturas para o consumo deles. Como vimos, esses três principais fatores, assinatura de TV, sócio-torcedor e vendas de produtos, estão em queda. Resta aos clubes encontrar maneiras de manter o vínculo com sua torcida para manter aceso o interesse. Esse será o assunto do próximo especial: Torcedor tem menos interesse pelo seu time na paralisação?